h1

Curiosidades sobre canhotos e destros

30/03/2009

Segundo estudos, cada pessoa nasce com uma preferência por um lado do corpo, o que a faz, logo pela infância, escolher com qual das mãos – ou pés – fará as atividades mais significativas em sua vida.

Já no século XVI, o chamado clã dos Kerr, da Inglaterra, encontrou uma arma interessante para lutar contra seus inimigos escoceses, que queriam tomar suas propriedades: construíram um castelo com escadarias espirais da direita para a esquerda que dificultavam a invasão de pessoas… destras. Apesar de curioso para a época, o plano deu certo. Os Kerr, que eram uma família dominada por canhotos, descobriram uma técnica fácil para se sair bem num mundo que já era feito para os “de direita”.

A curiosidade em torno do porque uma pessoa nasce destra e outra canhota sempre existiu. Na idade média, acreditava-se que se uma pessoa tinha dominância pela mão direita, ela era saudável e abençoada, enquanto os que preferiam a mão esquerda eram criaturas demoníacas e perversas.

Naquela época, escrever com a mão esquerda era considerado um erro que devia ser consertado o mais rápido possível. Quem era canhoto era reprimido – levava chicotadas, cintadas e tapas nessa mão – e induzido a aprender a se virar com a mão direita. Isso porque, em alguns países islâmicos, a mão esquerda era a “mão suja”, utilizada para tarefas como a higienização do corpo.

De lá para cá, a tolerância com os canhotos pode ter aumentado, mas eles ainda têm que aprender a lidar com um mundo onde as tesouras, os abridores de latas e as torneiras ainda funcionam para o lado “errado”. Para os destros que, segundo estimativas, são 90% da população mundial, fazer tudo com a mão esquerda ainda é um espanto.

Para os cientistas, tentar explicar o que acontece no corpo e no cérebro para se definir uma pessoa destra ou canhota ainda é um problema. “Existem pesquisas que tentam entender o porquê do canhotismo ou do destrismo, mas nada pôde ser comprovado cientificamente”, diz o psicólogo especializado em Neurociências Márcio Toledo. Apesar disso, todos partem do princípio da teoria da lateralidade. “Ela pode ser definida como a preferência (e dominância) de cada pessoa por um dos lados do corpo – não só a mão”, afirma o psicólogo.

A lateralidade parte do princípio de que o corpo depende das atividades cerebrais para funcionar e, portanto, segue as ordens dele. O cérebro, por sua vez, é dividido em dois hemisférios: o direito e o esquerdo. O lado esquerdo dele coordena a parte direita do corpo, enquanto o direito coordena a parte esquerda do corpo.

Segundo a lateralidade, cada pessoa tem um maior comando por uma das partes do cérebro e é aí que se define quem é canhoto e quem é destro – os destros são comandados pelo lado esquerdo do cérebro e os canhotos pelo lado direito. Também há pessoas que têm a mesma dominância de comando dos dois hemisférios cerebrais e, portanto, têm a mesma facilidade em ambas as partes do corpo.

Os cientistas afirmam que numa família de pais destros, a chance de a criança ser canhota é só de 2%. Essa estatística salta para 17% se um dos pais for canhoto e para 50% se ambos forem canhotos.

Já segundo o psicólogo americano Arnold Gesell, especializado em desenvolvimento infantil e famoso por anos de pesquisa na área, é possível perceber se uma criança será destra ou canhota desde cedo através de observações comportamentais simples, como ver a mão que ela usa para apontar, pedir comida ou brinquedos, e até mesmo pra que direção ela vira na hora de dormir. “Essa preferência realmente começa a ser mais perceptível quando a criança tem entre 5 e 9 anos de idade”, concorda Dr. Toledo.”

aChADo no triplo sentido

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: