h1

Vitória e seus aromas inesquecíveis

06/08/2009
Chegamos ao motel por volta de meia-noite. Estacionei o carro na garagem e subimos a escada caracol que levava ao quarto. Vitória ia na frente, hesitante, gastando alguns segundos a cada degrau – escadas caracóis definitivamente não foram feitas para mulheres de salto alto. Eu, logo atrás, ia apreciando o movimento ascendente e descendente daquela bunda maravilhosa. Ao entrar na suíte, logo descobri por que estava desembolsando R$ 250 por ela. O quarto era amplo e decorado com obras de arte com motivos eróticos. A cama tinha umas três vezes o tamanho de uma convencional; parecia ter sido feita sob medida para um jogador da NBA. O espaço era dividido em dois pavimentos separados por uma porta de correr envidraçada. No inferior ficava a piscina com cascata artificial. Mas nada disso me interessava. O que queria mesmo era Vitória.

Vitória era a prova de que sensualidade e beleza são atributos bem díspares. Não era feia, claro. Seu rosto tinha até bons contornos, mas nada que pudesse figurar numa embalagem de tintura para cabelos. Em compensação era a mulher mais sensual que tinha visto na vida. E nem se esforçava para isso, era naturalmente assim. Ela de cabelos desgrenhados, vestindo uma camiseta surrada e escovando os dentes pela manhã provavelmente conseguiria ser mais sexy do que a maioria das mulheres que eu conhecia em seus melhores momentos.

Logo que comecei a me aproximar de Vitória, vi que o investimento seria alto. Ela gostava das boas coisas da vida e tinha ciência de quanto valia seu passe no mercado. Horas antes de chegarmos ao motel, tínhamos jantado num dos restaurantes mais requintados da cidade. Comemos confit de pato e steak au poivre e tomamos duas garrafas de vinho dos bons. Resultado da orgia gastronômica: R$ 230 a menos em minha conta bancária.

– Nando, vem logo pra cá. A água está uma delícia.

Enquanto pegava uma cerveja no frigobar ao lado da cama, Vitória havia se atirado na piscina. Depois de uma pegação aquática, voltamos para o quarto. Estava tão excitado que fiz o trajeto entre a piscina e a cama de bandeira hasteada. Observava aquele corpo maravilhoso e me sentia um glutão diante de um farto banquete. Queria provar cada sabor, sentir cada aroma daquele refinado prato. A entrada, como não poderia deixar de ser, foi um intenso e úmido beijo na boca. Depois, provei um pouco de seu longilíneo e perfumado pescoço e não demorei muito a chegar a seus tenros seios. Tudo estava muito bom, mas não via a hora de provar o prato principal. Nunca entendi certos homens que não gostam de fazer sexo oral numa mulher. Pelo menos para mim, um dos maiores prazeres é me deliciar provando as fragrâncias e sabores únicos de uma xoxota. É como beber um bom vinho, identificando suas nuances de aroma e sabor.

Fui me aproximando aos poucos. Beijei aquela barriguinha macia e senti que sua respiração estava ofegante. Passei por seu umbigo, fui descendo, descendo… Mas, antes de mergulhar naquele manjar, meu nariz foi invadido por um odor acre, um aroma inesperado que fez minha mente viajar até a última Semana Santa, época do ano em que minha família se reúne para provar a famigerada bacalhoada da minha avó. Meus instintos ancestrais me fizeram desistir da empreitada. Por um momento, fiquei desconcertado e sem saber o que fazer. Como um ator de teatro que esquece seu texto, tive de improvisar. Prendi a respiração, saltei do umbigo para a coxa esquerda, depois para a direita e, finalmente, voltei para onde tudo tinha começado: a boca de Vitória.

Minha experiência e a idade contribuíram para que não perdesse a concentração. Aos vinte e seis anos é preciso mais que uma xoxota com data de validade vencida para broxar. Logo após a transa, Vitória adormeceu. Acendi um cigarro e fiquei pensando no que tinha acontecido. Como sou publicitário, me veio em mente um slogan para aquela noite:

Restaurante de luxo: R$ 230.
Suíte presidencial de um motel: R$ 250.
Ver que a xoxota da namorada te lembra a bacalhoada da vovó: não tem preço.

aChADo no Malvadas

Anúncios

One comment

  1. Fala piras beleza? é o seguinte, eu mudei o banner do meu blog, tem como vc me mandar um e-mail preu te passar o novo? vlw.



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: