h1

Atitudes que fazem de você um perfeito cavalheiro

15/03/2010

1. Ao andar na calçada com ela, você fica para o lado da rua: esta tradição vem dos tempos antigos onde as mocinhas, ao caminhar pelo lado interno da calçada, eram protegidas pelas sacadas e balcões das casas e, assim, não corriam o risco de serem atingidas por vasos ou qualquer coisa atirada pela janela. Hoje o cavalheiro, ao andar pelo lado de fora, a está protegendo do tráfego e eventualmente de poças de água atingidas pelas rodas de carros.

2. Na escada rolante, existe ordem dos fatores: ainda no sentido de proteção, ao entrar em uma escada rolante que sobe o homem deve dar a passagem à dama, mas quando for o sentido inverso, ou seja, a escada desce, é o cavalheiro que vai na frente. E por que isso? Se a mocinha se desequilibrar, o rapaz estará lá para segurá-la. Sinta-se um herói por isso.

3. Ela se senta antes: é sempre muito elegante puxar a cadeira para uma moça se sentar. Mostra que você a quer confortável e à vontade. Em restaurantes, porém, onde o maitre ou o garçom fazem essa distinção, você deve aguardar para que ela sente primeiro, sem dar muito na cara.

4. Abra a porta do carro: aqui é um ritual interessante que faz um sucesso tremendo no primeiro encontro, mas não deve ser esquecido nos seguintes. Espere a daminha fora do carro. Quando ela chegar, abra a porta do seu carro, deixe que ela se acomode confortavelmente. Feche a porta, contorne o carro POR TRÁS, e só então entre. De Fusca a Ferrari, a regra é a mesma.

5. Segure a porta para ela: em qualquer pesquisa que você ler, 90% das mulheres acham que um homem que segura a porta para ela passar é o máximo. E você não deve praticar isso só com quem conhece e não só com mulheres. Demonstrar respeito e educação pelos outros não arranca pedaço.

6. Ofereça seu casaco: em tempos de aquecimento global (onde a temperatura muda a todo instante) e de moda com os ombros para fora, essa regra é mais atual do que nunca. A mocinha, no sentido de ficar sensual para você, poderá usar uma peça de vestuário mais aberta e, se o tempo mudar, seguramente vai passar frio. Se você notar que sua companhia feminina está desconfortável com o clima, imediatamente ofereça seu casaco a ela. Mesmo que ela recuse, repita a oferta se notar que a temperatura está caindo. Lembre-se: você é um homem, logo você pode sentir frio. Ela não.

7. Ofereça seu lugar: mais uma regra que deve ser aplicada para qualquer mulher, conhecida ou não, e também para idosos e portadores de deficiência (digo tudo isso, porque mesmo nos locais onde existem assentos reservados a esse público, muita gente não respeita). No caso das mulheres, uma atitude dessas mostra que você está colocando o bem-estar dela acima do seu e sabe o que isso significa na cabeça feminina, não é?

8. Faça o pedido no restaurante: hoje as mocinhas trabalham, têm seu dinheiro e são mais independentes. Dividir a conta no restaurante é atitude comum e não ofende ninguém (menos no primeiro encontro, rapaz. Lembre-se que você quer impressionar). Acontece que, apesar de tudo isso, ainda é de bom tom o homem fazer o pedido do casal, uma vez que denota um interesse em deixá-la mais confortável e mais à vontade, não tendo que se preocupar com esses chatos detalhes operacionais da refeição.

9. Se estiver chovendo, você segura o guarda-chuva: aqui acontece aquela oportunidade maravilhosa de andar agarrado um ao outro, mas o objetivo é mantê-la seca. Sendo assim, se o guarda-chuva for pequeno demais para os dois, você, macho da espécie, deve se molhar mais. Com certeza, você passará aquela imagem de que se preocupa com os outros, especialmente pelo conforto dela.

10. Acenda o cigarro dela: mesmo em uma época de cruzadas antitabagista, ainda vale a pena resgatar uma tradição dos filmes dos anos 40 e rapidamente pegar seu isqueiro quando a ver colocando um cigarro na boca. Se não é cavalheirismo, pelo menos é charmoso pacas.

achaDo no insoonia

Anúncios
h1

Como nascem as idéias

15/03/2010

 

RODA

achADo no testosterona

h1

Piadex

15/03/2010

 Essa tem que chegar a Brasília. Essa é ótima!
 
A Morte do Senador:   
Um senador está andando tranqüilamente quando é
atropelado e morre.

A alma dele chega ao Paraíso e dá de cara com São Pedro
 na entrada.

-‘Bem-vindo ao Paraíso!’; diz São Pedro

-‘Antes que você entre, há um probleminha.
Raramente vemos parlamentares por aqui, sabe,
então não sabemos bem o que fazer com você.

-‘Não vejo problema, é só me deixar entrar’, diz o
antigo senador.

-‘Eu bem que gostaria, mas tenho ordens superiores..
 Vamos fazer o seguinte:

Você passa um dia no Inferno e um dia no Paraíso.
 Aí, pode escolher onde quer passar a eternidade.

-‘Não precisa, já resolvi. Quero ficar no Paraíso diz o senador. ‘
-‘Desculpe, mas temos as nossas regras.’

Assim, São Pedro o acompanha até o elevador e ele desce, desce, desce até  o  Inferno..

A porta se abre e ele se vê no meio de um lindo
campo de golfe.

Ao fundo o clube onde estão todos os seus amigos
 e outros políticos com os quais havia trabalhado.

Todos muito felizes em traje social.

Ele é cumprimentado, abraçado e eles começam a
 falar sobre os bons tempos em que ficaram ricos às
 custas do povo.

Jogam uma partida descontraída e depois comem
lagosta e caviar.

Quem também está presente é o diabo, um cara
muito amigável que passa o tempo todo dançando e
contando piadas.

Eles se divertem tanto que, antes que ele perceba,
já é hora de ir embora.

Todos se despedem dele com abraços e acenam
enquanto o elevador sobe.

Ele sobe, sobe, sobe e porta se abre outra vez.
São Pedro está esperan do por  ele.

Agora é a vez de visitar o Paraíso.

Ele passa 24 horas junto a um grupo de almas
contentes que andam de nuvem em  nuvem,
tocando harpas e cantando.

Tudo vai muito bem e, antes que ele perceba,
o dia se acaba e São Pedro retorna.

-‘ E aí ? Você passou um dia no Inferno e um dia no Paraíso.

Agora escolha a sua casa eterna.’
Ele pensa um minuto e responde:

-‘Olha, eu nunca pensei … O Paraíso é muito bom,
 mas eu acho que vou ficar melhor no Inferno.’

Então São Pedro o leva de volta ao elevador e ele desce,
desce, desce até o Inferno.

A porta abre e ele se vê no meio de um enorme terreno
baldio cheio de lixo.

Ele vê todos os amigos com as roupas rasgadas
e sujas catando o entulho e colocando em sacos pretos.

O diabo vai ao seu encontro e passa o braço pelo
ombro do senador.

-‘ Não estou entendendo’, – gagueja o senador – ‘Ontem
mesmo eu estive aqui  e havia um campo de golfe,
um clube, lagosta, caviar, e nós dançamos e nos
divertimos o tempo todo. Agora só vejo esse
fim de mundo cheio de lixo e meus amigos arrasados !!!’

Diabo olha pra ele, sorri ironicamente e diz:

-‘ Ontem estávamos em campanha.
Agora, já conseguimos o seu voto…’

via sócio: Diogo Bozo

h1

Problema técnico…

15/03/2010

Galera! Conto com a compreensão de vocês leitores do PiraS. O “computador que fica lá em casa” (pois não é meu) está com problemas, e não quer ligar de jeito nenhum. Toda vez que ligo a CPU a peste liga por 3 segundos e depois desliga completamente, se tiver alguem que saiba o que é isso, ficarei grato em saber. Vou vê se levo em uma assistencia tecnica, mas a verba esse mês está curta e como disse o pc não é meu. Por enquanto postarei algumas coisas que tenho salva em meu pen drive (que tambem estava bichado sem ligar, mas hoje resolveu dar sinal de vida), algumas coisas feitas por minha autoria. Durante esse tempo aproveitarei as verbas governamentais atraves da sala de informativa da minha querida faculdade, pra atualizar o blog. Pra infelicidade de uns e alegrias de outros o PiraS praticamente não terá postagens de minha autoria e terá praticamente postagens kibadas (coisa que faço sempre), afinal não foi deixar voces sem nada! E também sejam solidarios com essa fase de vacas magras e enviem sugestões de post pra mim, pode ser qualquer coisa, nesse momente qualquer coisa serve! até mesmo a foto da bruxa de sua sogra pro “chuta que é macumba”, pode enviar pro diegodias.88@gmail.com . Conto com vcs!

h1

Imagens Desafortunadas

12/03/2010

Continue lendo »

h1

A vigança

12/03/2010

https://i2.wp.com/4.bp.blogspot.com/_nMqovoZMGKk/RtMWmOtO6rI/AAAAAAAAAFY/yUJCXSfgw5A/s320/lencol_vermelho.jpg“Satânico é meu pensamento a teu respeito e ardente é o meu desejo de apertar-te em minhas mãos, numa sede de vingança incontestável pelo que me fizeste ontem.
A noite era quente e calma e eu estava em minha cama, quando, sorrateiramente, te aproximaste.
Encostaste o teu corpo sem roupa no meu corpo nu, sem o mínimo pudor! Percebendo minha aparente indiferença, aconchegaste-te a mim e mordeste-me sem escrúpulos.
Até nos mais íntimos lugares.
Eu adormeci.
Hoje quando acordei, procurei-te numa ânsia ardente, mas em vão. Deixaste em meu corpo e no lençol provas irrefutáveis do que entre nós ocorreu durante a noite.
Esta noite recolho-me mais cedo, para na mesma cama te esperar….. Quando chegares, quero te agarrar com avidez e força.
Quero te apertar com todas as forças de minhas mãos.
Só descansarei quando vir sair o sangue quente do seu corpo..
Só assim, livrar-me-ei de ti……
pernilongo FdP…

aChADO no recebi por e-mail

h1

Piadex

12/03/2010

Januário tinha que fazer espermograma, a pedido de seu médico, pois acabara de completar 50 anos.
Foi à farmácia e comprou um potinho desses para coleta de material.
Chegando em casa, foi ao banheiro e tentou com a mão direita, tentou com a esquerda e até com as duas, e nada! Então, chamou sua mulher.
Ela tentou com a mão direita, tentou com a esquerda, com as duas e até com a boca, mas também não conseguiu.. Não vendo outra opção, ela chamou a vizinha.
Esta, querendo ajudar, mesmo bastante constrangida, tentou com a direita, com a esquerda, com as duas mãos, e muito sem graça, pediu licença e tentou com a boca, mas não obteve sucesso!
A vizinha, não se dando por vencida, chamou sua filha Luisa, uma gatona de 18 anos, uma menina encantadora. E mais uma vez repetiram-se as tentativas.. uma mão, outra, as
duas, com a boca, mas também não conseguiu..
Januário, muito triste, voltou à farmácia e devolveu o pote ao vendedor dizendo:
– Dá pro senhor me ver outro potinho, porque lá em casa, ninguém conseguiu abrir este!

via sócio: Diogo Bozo